Exportação de calçados teve forte crescimento em julho

Brasil embarcou 7,9 milhões de pares, um aumento de 65% sobre o mesmo mês do ano passado. Receitas avançaram 44%, para US$ 84,35 milhões.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – As exportações brasileiras de calçados somaram US$ 84,35 milhões em julho, um aumento de 44,4% sobre o mesmo mês de 2018. Foram embarcados 7,9 milhões de pares, um crescimento de 65,2% na mesma comparação, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (08) pela Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados).

No acumulado de janeiro a julho, as vendas externas renderam US$ 565 milhões, um avanço de 3,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram exportados 65 milhões de pares, um acréscimo de 8,2% frente aos sete primeiros meses de 2018. Os negócios vinham em ritmo bem mais fraco até junho.

De acordo com o presidente da Abicalçados, Haroldo Ferreira, o desempenho foi puxado pelos Estados Unidos, em face do anúncio do governo norte-americano de aumentar o Imposto de Importações incidente sobre sapatos chineses em 10 pontos percentuais, passando de uma alíquota média de 17,3% para 27,3%.

Ele lembrou que a lista anda está sob análise do Congresso dos EUA, mas os importadores do país já buscam fornecedores alternativos, como o Brasil. “Hoje somos o maior fabricante de calçados fora da Ásia. Evidentemente, essa guerra comercial terá um efeito no setor”, declarou Ferreira, segundo nota da Abicalçados.

As vendas aos Estados Unidos renderam US$ 18,52 milhões em julho, um aumento de 79% sobre o mesmo mês de 2018. Foram embarcados 757,4 mil pares, um crescimento de 96,6% na mesma comparação. No acumulado do ano, as exportações aso EUA somaram US$ 119,74 milhões e 7 milhões de pares, crescimentos de 40% e 33% na mesma comparação, respectivamente.

As exportações estão em alta também para os Emirados Árabes Unidos. O Brasil vendeu quase 1,3 milhão de pares para lá de janeiro a julho, um aumento de 88% em relação ao mesmo período do ano passado. Os embarques renderam US$ 9,1 milhões, um avanço de 40,8% na mesma comparação.

Fernando Vivas/GovBA

Publicações relacionadas