Fórum Mundial da Juventude do Egito ocorre em novembro

De 03 a 06 de novembro, a cidade de Sharm El Sheikh deve receber mais de 35 mil jovens de 156 países para participar de painéis, seminários e workshops. O evento terá transmissão online.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A segunda edição do Fórum Mundial da Juventude do Egito será realizada na cidade litorânea de Sharm El Sheikh de 03 a 06 de novembro. O evento vai reunir jovens de diferentes regiões do mundo com o objetivo de discutir questões nacionais e internacionais que preocupam e influenciam globalmente a juventude. As inscrições estão encerradas, mas é possível se cadastrar no site e acompanhar a cobertura online do evento.

O Fórum é uma plataforma global para que jovens compartilhem experiências e troquem ideias com chefes de estado e funcionários de alto nível de vários países, em painéis, seminários, workshops, entre outras atividades, e é voltado para jovens líderes internacionais, jovens influenciadores em campos diversos do conhecimento, figuras internacionais proeminentes e grupos de jovens de todo o mundo.

O evento é realizado com apoio do presidente Abdel Fattah El-Sisi e é uma plataforma aberta criada por jovens para transmitir uma mensagem de paz e prosperidade do Egito para o resto do mundo. Com a presença de presidentes, líderes e influenciadores, o programa busca encorajar os jovens a expressar as suas opiniões sobre vários tópicos e apresentar recomendações e iniciativas.

A primeira edição do Fórum Mundial da Juventude do Egito ocorreu em novembro de 2017 (foto acima) e recebeu mais de 3,2 mil jovens de 113 países, com 222 painelistas. A juventude ocidental foi responsável por cerca de 70% das inscrições, enquanto jovens árabes e africanos chegaram a 30%. Para esta edição, são esperados mais de 35 mil jovens de 156 países.

Programação

Os eventos do Fórum girarão em torno de uma temática inspirada nos “Sete Pilares da Identidade Egípcia”, livro do autor egípcio Milad Hanna, escrito com o propósito de enfatizar a unidade e a harmonia da sociedade egípcia. De acordo com esta abordagem, todas as atividades deverão refletir a natureza comunicativa da sociedade egípcia que conseguiu, ao longo dos tempos, ser um elo entre diferentes povos. Os sete pilares da identidade egípcia são o faraônico, o greco-romano, o copta (igreja cristã oriental), o islâmico, o árabe, o mediterrâneo e o africano.

Os painéis do fórum tratarão de temas como inclusão, o mundo digital e seu papel no mundo real, redes sociais, jogos de realidade virtual, segurança da água, energia, mudanças climáticas, assistência humanitária, voluntariado, o papel dos empreendedores no crescimento da economia global, a cooperação euro-mediterrânea, a diminuição da desigualdade entre gêneros, a reconstrução de sociedades pós-conflitos, entre outros. A programação completa está no site do evento.

Como parte do Fórum será realizada a Simulação da Cúpula Árabe-Africana (Model Arab African Summit, MAAS, em inglês), um simulado em que os participantes assumem o papel de líderes do continente africano e das nações árabes para debater questões atuais sobre os objetivos da organização. Enquanto atuam como embaixadores, os “delegados” fazem discursos, preparam projetos de resolução, negociam com aliados, resolvem conflitos e percorrem os procedimentos da Cúpula Árabe-Africana, com o objetivo de mobilizar a cooperação internacional para resolver problemas que afetam os países do Oriente Médio e da África.

Divulgação

Publicações relacionadas