Oriente Médio ganha participação nas vendas do Grupo Randon

Região passou a ser destino de 2,3% das exportações da companhia no primeiro semestre deste ano. África também cresceu.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O Oriente Médio teve um pequeno aumento na participação nas exportações das empresas Randon no primeiro semestre deste ano. A região era destino de 2% das vendas internacionais do grupo de janeiro a junho de 2017 e passou a responder por 2,3% no mesmo período de 2018, segundo informações divulgadas pela companhia nesta quarta-feira (8) após o fechamento do mercado.

A companhia comunicou seus resultados, incluindo o desempenho de todas as suas nove empresas controladas, entre elas a Randon Implementos, de reboques e semirreboques, a Randon Veículos, que produz caminhões fora de estrada, a Suspensys, de suspensões e eixos, a Fras-le, de materiais de fricção, e a Jost, de sistemas automotivos.

Segundo as informações do relatório, a África também cresceu como destino das exportações do grupo, saindo de uma participação de 4,1% no primeiro semestre do ano passado para 4,2% nos mesmos meses deste ano. No geral, as exportações da companhia avançaram 16,2% em igual comparação, de R$ 231,5 milhões para R$ 269 milhões. Em dólares, o aumento foi de 7,3%, de US$ 72,4 milhões para US$ 77,7 milhões.

África e Oriente Médio são as regiões onde ficam os países árabes, mas não estão entre os principais destinos dos embarques das empresas Randon. O Mercosul e o Chile estão no topo do ranking com 46,2%, seguidos pelo Nafta (Estados Unidos, Canadá e México) com 33,6%, demais países da América do Sul e Central com 9,1%, e então pela África. A Europa ficou com 2,7%, seguida por Oriente Médio, e depois por Ásia com 1,4% e por Oceania com 0,5%.

“Após um período de longas dificuldades, o mercado africano começou a dar sinais de recuperação, principalmente após a valorização do barril de petróleo ao longo de 2018. Países como Gana, Moçambique, Angola e Congo voltaram a comprar peças e implementos rodoviários”, informou a Randon no relatório em comentários sobre o segundo trimestre.

De abril a junho, o grupo teve receita de exportação de R$ 145,5 milhões, com aumento de 9,3% sobre iguais meses de 2017. Em dólares, porém, houve queda de 1,3% na receita com o mercado internacional na mesma comparação, de US$ 41,5 milhões para US$ 40,9 milhões. No semestre, a Randon teve expansão de 46,6% na receita bruta total, que somou R$ 2,7 bilhões. No segundo trimestre o valor ficou em R$ 1,4 bilhão, também com crescimento, de 40,3%.

“Apesar do crescimento ainda tímido da economia brasileira, o movimento de renovação da frota, promovido principalmente pelos grandes frotistas, permanece sendo o principal fator responsável pelo aumento nas vendas de caminhões e implementos rodoviários no país”, disse a companhia na divulgação dos resultados.

Divulgação

Publicações relacionadas