Receitas do turismo cresceram 40% na Tunísia

País árabe teve receitas de 1,2 bilhão de dinares com o turismo e recebeu 2,4 milhões de visitantes desde o começo deste ano até 10 de maio.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O setor de turismo da Tunísia teve receitas 37,7% maiores neste ano até o dia 10 de maio em relação ao mesmo período do ano passado, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (17) pela agência de notícias local Tunis Afrique Presse (TAP) com base em dados do Ministério do Turismo e Artesanato da Tunísia. O valor somou 1,2 bilhão de dinares tunisianos, o equivalente a US$ 386,8 milhões pela conversão atual. A Tunísia espera receber nove milhões de turistas neste ano contra oito milhões em 2018.

O número total de chegadas no país subiu 14,5% no período para 2,4 milhões de turistas. As visitas de europeus avançaram 22,2%. O continente enviou 512,7 mil turistas à Tunísia de janeiro até o décimo dia de maio. A maior quantidade – 244 mil – foram franceses. A meta da Tunísia é receber um milhão de turistas da França até o final deste ano.

A segundo nacionalidade europeia que mais fez turismo em terras tunisianas foi a alemã, com 54,3 mil visitantes e crescimento de 23%. O objetivo da Tunísia é receber 400 mil turistas da Alemanha durante 2019 e aumentar esse número para um milhão nos próximos anos. As chegadas de turistas de outros países da Europa somaram 214,3 mil, com alta de 25,8%.

Os turistas da região do Maghreb, onde fica a Tunísia, representaram a maior quantidade entre os visitantes estrangeiros. A região é formada por Argélia, Marrocos, Líbia e Mauritânia, além da Tunísia. Os turistas destes países foram 1,4 milhão, mais da metade do total, e suas chegadas cresceram 12,5%. Os argelinos somaram o maior número entre eles. Um total de 776 mil pessoas vindas da Argélia visitaram até Tunísia até o dia 10 de maio e 25% deles ficou em hotéis.

O lugar preferido pelos turistas para a hospedagem foi a zona turística de Djerba-Zarzis, que fica na costa tunisiana banhada pelo Mar Mediterrâneo. De um total de 4,8 milhões de dormidas no país – quantidade de diárias em hotéis e outras hospedagens turísticas -, a região ficou com 19% ou 1,1 milhão. Em seguida veio Sousse e depois Yasmine Hammamet.

 

Philippe Roy/Aurimages/AFP

Publicações relacionadas