Setor privado representa 90% das empresas de Sharjah

Câmara de comércio do emirado participa de congresso da ICC no Rio de Janeiro. Representante da entidade falou sobre a indústria local.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

Rio de Janeiro – O conselheiro econômico da Câmara de Comércio e Indústria de Sharjah, Omer Ali Salih (dir., na foto), disse em entrevista à ANBA nesta quinta-feira (13) que 90% de todos os negócios do emirado são do setor privado, e isso se aplica também às pequenas empresas. “Nossas empresas são, em sua maioria, privadas”, afirmou ele, que participa do 11º Congresso Mundial de Câmaras, no Rio de Janeiro.

Entre os setores de negócios, Sharjah se destaca na manufatura, petroquímica, e nas indústrias de móveis e alimentos processados. “Cerca de 35% de todas as fábricas dos Emirados Árabes Unidos ficam em Sharjah”, afirmou Salih.

“Damos consultoria a pequenas e médias empresas que queiram exportar, oferecendo serviços de facilitação e fazemos missões empresariais”, informou o executivo. Sobre o Brasil, Salih disse que as empresas de Sharjah agora terão mais informações sobre os negócios no País, e que existe interesse em fazer negócios aqui. “Mas a nossa maior dificuldade é a barreira do idioma, muito pouca gente fala inglês aqui”, declarou.

Esta é a oitava participação de Sharjah no Congresso Mundial de Câmaras, a segunda com um estande, e a primeira como patrocinadora do evento. Na tarde de ontem (12), o secretário-geral da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Tamer Mansour, esteve no estande da Câmara de Sharjah e conversou com os representantes do emirado sobre a possibilidade de fazerem parcerias futuras e da assinatura de um memorando de entendimento (MoU).

Bruna Garcia/ANBA

Publicações relacionadas