Bancos reduzem estimativa de inflação

Mercado financeiro prevê aumento de preços de 4,40% no Brasil neste ano. Na semana anterior, projeção era de 4,43%.

Isaura Daniel
isaura.daniel@anba.com.br

Brasília –  A estimativa de instituições financeiras para a inflação neste ano caiu pela segunda vez seguida. De acordo com pesquisa do Banco Central (BC), divulgada nesta segunda-feira (5), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em 4,40%. Na semana passada, a projeção estava em 4,43%.

Para 2019, a projeção da inflação permanece em 4,22%. Também não houve alteração na estimativa para 2020: 4%. Para 2021, passou de 3,95% para 3,97%. A meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, é 4,5% este ano.

De acordo com o mercado financeiro, a taxa básica de juros, a Selic, deve permanecer em 6,5% ao ano até o fim de 2018. Para 2019, a expectativa é de aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano e permanecendo nesse patamar em 2020 e 2021.

As instituições financeiras mantiveram a estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 1,36%, em 2018, e em 2,50% nos próximos três anos. A expectativa para a cotação do dólar passou de R$ 3,71 para R$ 3,70 no fim deste ano, e permanece em R$ 3,80 para o término de 2019.

 

Tânia Rego/Agência Brasil

Publicações relacionadas