Brasil seleciona alunos de países árabes para graduação

Ministério da Educação e Itamaraty têm inscrições abertas para pessoas de 60 nações em desenvolvimento interessadas em fazer graduação no Brasil. Entre os árabes, podem se inscrever candidatos da Argélia, Egito, Líbano, Marrocos, Síria e Tunísia.

Isaura Daniel
isaura.daniel@anba.com.br

São Paulo –  O Ministério da Educação (MEC) tem inscrições abertas para pessoas de 60 países interessadas em fazer graduação de forma gratuita no Brasil a partir do ano que vem. A lista de nações das quais os candidatos podem vir inclui as árabes Argélia, Egito, Líbano, Marrocos, Síria e Tunísia. As inscrições foram abertas em 14 de junho e se encerram em 31 de agosto deste ano.

Os estrangeiros estudarão no Brasil por meio do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G), levado adiante pela Secretaria de Educação Superior (SESu) do MEC e pelo Departamento Cultural do Ministério de Relações Exteriores (MRE). O número de instituições de ensino superior brasileiras abertas a receber os estrangeiros são 109, quase todas públicas.

São dez universidades na região Centro-Oeste, 23 na região Nordeste, oito na região Norte, 41 na região Sudeste e 27 na região Sul (veja lista aqui). Entre elas estão algumas das melhores instituições educacionais do Brasil, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade de São Paulo (USP) – foto acima.

O programa está inserido nas iniciativas de cooperação educacional internacional do Brasil, principalmente com países em desenvolvimento, e tem como base acordos bilaterais vigentes. O objetivo é formar o estudante estrangeiro para que ele retorne ao seu país ao final do curso.

Cada universidade participante do programa informará pelo Sistema Integrado (Simec) do MEC os cursos disponíveis, o campus, o semestre de ingresso e o número de vagas ofertadas. As vagas serão em cursos nos períodos diurno ou integral e os alunos devem ingressar no primeiro semestre do curso, não podendo ser uma continuidade dos estudos iniciados no seu país de origem.

Para concorrer às vagas, os candidatos devem ter 18 anos completos até 31 de dezembro de 2018, ter origem e residência nos países indicados no edital, não podem ter visto permanente ou temporário no Brasil, devem ter cursado Ensino Médio em sua totalidade fora do Brasil, ter o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) e se comprometer a cumprir as regras do PEC-G.

Também é preciso apresentar um termo de responsabilidade financeira, indicando a possibilidade de dispor de US$ 400 mensais para custear as despesas de subsistência no Brasil durante a permanência para os estudos.

As inscrições devem ser feitas na missão diplomática do Brasil no país de residência, onde será preenchido o formulário de candidatura e levados os documentos exigidos. Para a seleção serão feitos análise de histórico escolar e documentos, e consideradas a média de notas e a adequação do ensino médio cursado à graduação pretendida.

Além dos países árabes citados, fazem parte da lista de nações incluídas no PEC-G África do Sul, Angola, Cabo Verde, Mali, Moçambique, Senegal, Tanzânia, Togo, China, Índia, Irã, Paquistão, Quênia, Tailândia, Argentina, Barbados, Chile, Costa Rica, Nicarágua, Haiti, Honduras, Paraguai, Peru, Venezuela, entre outros.

Acesse o edital completo aqui.

Marcos Santos/USP Imagens

Publicações relacionadas