Brasileiro ganha apoio de príncipe para lutar nos Emirados

Kaike Angelim começou a vender água nos semáforos de Cuiabá para financiar sua ida ao Abu Dhabi World Professional Jiu-Jitsu Championship, em abril. O herdeiro do emirado, Mohammed Bin Zayed, se sensibilizou e bancou a ida do atleta ao torneio.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – Sob o verão com altas temperaturas que o Brasil enfrenta neste ano, o atleta Kaike Angelim (1º à esq., na foto) e outros três lutadores de jiu-jitsu venderam água nos semáforos de Cuiabá (MT). Os atletas trabalhavam para conseguir ir ao Abu Dhabi World Professional Jiu-Jitsu Championship 2019, que ocorre em abril na capital dos Emirados Árabes Unidos. No primeiro sábado do que seria uma ação a ser repetida por três meses, porém, uma foto dele trabalhando num sinal mudou todo o cronograma de Angelim.

A foto foi tirada no dia 12 de janeiro e começou a viralizar em mídias sociais na semana seguinte. “Na terça saiu a foto no Instagram e Facebook, e aí a imprensa local começou a vir atrás de mim. No sábado à noite, eu conectei meu celular e [no] meu Instagram tinha aumentado muito os seguidores”, relatou o atleta. Além da audiência maior, havia também uma mensagem em inglês. “Um rapaz que falava: ‘O Sheikh se sensibilizou com sua história e quer te ajudar a vir para Abu Dhabi’”, contou Angelim à ANBA.

O Sheikh Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi pagou as despesas de viagem de Kaike Angelim

Foto que viralizou e levou a história de Angelim até o príncipe-herdeiro de Abu Dhabi

O “Sheikh” era Mohammed Bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi. O recado estava em diversos meios de contato, mas foi recebido com estranheza pelo atleta, que demorou a acreditar no que estava acontecendo. “No Whatsapp tinha outra pessoa falando a mesma coisa. Eu falei, ninguém dá nada de graça, principalmente para atletas, mas resolvi responder que precisava sim de ajuda. Expliquei que já tinha comprado a passagem parcelada no cartão e estava fazendo as ações no semáforo para arrecadar o dinheiro”, relatou. O autor das mensagens pediu o número da conta de Angelim no banco. E lá estava, em poucos minutos, o valor que ele havia gastado com as passagens, depositado em sua conta, além do hotel reservado em seu nome.

“Nem pediram comprovante. Só a conta. Perguntei quem era ele, quem era o Sheikh?”, contou o atleta sobre o espanto da ocasião. Depois de ver seu nome nas inscrições confirmadas na disputa, Angelim entendeu que aquele contato era realmente de um assessor do príncipe. “Eu devo total agradecimento ao Sheikh por esse sonho que ele está realizando. Ele está fazendo isso não só por mim, mas por todas as pessoas que têm um sonho. Só obrigado, obrigado, obrigado!”, declarou o Angelim.

Além de Kaike, que atualmente disputa a categoria até 94 kg, faixa roxa, os brasileiros Matheus Arantes, faixa roxa até 110 kg, Diego Santos, faixa azul até 70kg, e Allan Nascimento, faixa azul até 66 kg, buscam apoio para ir à disputa em Abu Dhabi. “Matheus e Diego conseguiram comprar a passagem parcelada, da mesma forma que eu fiz no início. O Allan ainda nem conseguiu a passagem”, explicou. Todos os atletas treinam na academia Maldonado Team, na capital de Mato Grosso. Além deles, o também brasileiro Paulo Araújo, que luta na mesma academia, conseguiu patrocínio privado e já está confirmado no evento.

Os árabes pagaram, ainda, as inscrições dos quatro brasileiros que já tinham passagem comprada, incluindo Paulo. O montante totaliza U$S400. Angelim vai disputar o campeonato adulto profissional e explica: “O Abu Dhabi World Professional é a maior competição de jiu-jitsu do mundo. A mais organizada. Só que como é em Abu Dhabi poucos atletas conseguem ir. Apenas os melhores mesmo estão lá.” Essa será a primeira vez que Angelim vai ao evento.

Batalha para competir

Nascido no pequeno município mato-grossense de Paranatinga, o atleta luta jiu-jitsu há cinco anos e reside, hoje, em Cuiabá. Embora conte com patrocínio de empresas locais para seguir sua rotina de treinamento, ele completa seu salário dando aulas de muay thai e kickboxing. Já para ir aos eventos, ele precisa se desdobrar em mais atividades que rendam o dinheiro necessário. “Eu sempre fiz ações para [conseguir ir a] outros eventos. Vendi camisetas, rifas, sempre busquei esses recursos”, relatou.

Ano passado, foi por meio destas ações que Angelim conseguiu competir nos Estados Unidos. No entanto, para o torneio de Adbu Dhabi ele explica que precisou criar uma atividade nova. “Não bastaria apenas as camisetas, então tive a ideia e decidimos vender água no semáforo”, contou ele.

Agora, com as despesas pagas, Kaike Angelim embarca para o campeonato no dia 15 de abril. A competição se estende de 21 a 26 de abril. Um dos pedidos do xeique foi que ele encerrasse suas atividades para arrecadar fundos, por isso apenas os outros três atletas brasileiros vão continuar com as ações até abril, contando com o apoio de Angelim nos bastidores. Além da venda de águas nos semáforos de Cuiabá, tanto Matheus quanto Diego seguem com vaquinha on-line para arrecadar o valor da passagem e demais despesas da viagem.

Depois da confirmação da ida de Kaike Angelim o xeique enviou, ainda, uma equipe para produzir um documentário sobre a trajetória do brasileiro. Confira, abaixo:

Documentary Kaike Angelim from Zanella FIlmes on Vimeo.

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas