Demanda aérea do Oriente Médio sobe 2,9% em abril

Aumento ocorreu após um recuo de 3% em março, mas mudanças na estrutura do setor na região apontam para tendência de queda, segundo a Iata.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A demanda aérea de passageiros no Oriente Médio subiu 2,9% em abril sobre o mesmo mês de 2018, uma recuperação frente ao declínio de 3% no tráfego em março. Os dados são da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), que informou que a tendência de queda continua apesar do crescimento no mês passado, devido a mudanças estruturais que vêm afetando a indústria na região. A capacidade caiu 1,6% no período, e a taxa de ocupação dos voos subiu 3,5%, para 80,5%.

Já as companhias aéreas da América Latina tiveram um aumento de 5,2% na demanda em abril em comparação com o mesmo mês do ano passado, número ligeiramente acima do crescimento de 4,9% registrado em março. A capacidade cresceu 4%, e a taxa de ocupação subiu 0,9%, para 82,8%. Os bons resultados, segundo a Iata, foram registrados apesar do cenário de incerteza econômica e política em alguns dos mais importantes países da região. Segundo a associação, o grande fluxo de tráfego Sul-Norte pode estar ajudando no crescimento da demanda.

No mundo, a demanda por voos internacionais subiu 5,1% em abril, no comparativo com abril de 2018. Todas as regiões registraram aumento de tráfego no período comparativo, puxadas pelas companhias aéreas da Europa. A capacidade total subiu 3,8%, e a taxa de ocupação subiu 1,1%, para 82,5%.

O tráfego global total de passageiros (RPK, ou Passageiros por Quilômetros Transportados) também cresceu em abril, 4,3% em relação ao mesmo mês de 2018. A capacidade em abril (ASK, ou assentos disponíveis a cada quilômetro voado) aumentou 3,6%. A taxa de ocupação subiu 0,6%, para 82,8%, valor recorde para o mês de abril, superando o recorde do ano passado, de 82,2%. Regionalmente, África, Europa e América Latina registraram ocupação recorde.

As comparações entre os dois meses estão distorcidas, segundo a Iata, devido ao calendário do feriado de Páscoa, que ocorreu em 1º de abril de 2018, mas caiu muito mais tarde este ano, em 21 de abril.

Em nota, o CEO da Iata, Alexandre de Juniac, disse que o setor aéreo apresentou um crescimento sólido, mas não excepcional, na demanda do mês de abril. “Isso se deve em parte ao calendário da Páscoa, mas também reflete a desaceleração da economia global. Afetado por taxações e disputas comerciais, o comércio global está em queda, e consequentemente, não estamos vendo o tráfego crescer nos mesmos níveis de um ano atrás. No entanto, as companhias aéreas estão fazendo um ótimo trabalho no gerenciamento da utilização de aeronaves, resultando em taxas de ocupação recordes”, disse Juniac.

Voos domésticos

A demanda por voos domésticos no mundo subiu 2,8% em abril em relação a abril de 2018, ante crescimento de 4,1% em março no comparativo com igual mês de 2018. A tendência de desaceleração é resultado principalmente do desempenho da China e da Índia. A capacidade aumentou 3,2%, e a taxa de ocupação caiu 0,3%, para 83,2%.

Nicolas Economou/NurPhoto/AFP

Publicações relacionadas