Dubai lança em Davos iniciativa para fomentar investimentos

O Centro Hamdan, do emirado, e a Associação Mundial de Agências de Promoção de Investimentos anunciaram um programa para capacitar estas instituições a atrair recursos estrangeiros para inciativas de desenvolvimento sustentável.

Da Redação
anba@anba.com.br

Davos – O Centro Hamdan para o Futuro dos Investimentos (HCFI, na sigla em inglês), de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e a Associação Mundial de Agências de Promoção de Investimentos (Waipa, na sigla em inglês) lançaram nesta quarta-feira (23) em Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico Mundial, um programa de capacitação para agências de promoção de investimentos (IPAs, na sigla em inglês). As informações são da Emirates News Agency (WAM).

O Centro Hamdan foi lançado no ano passado com o objetivo de incentivar investimentos estrangeiros diretos (IED) em iniciativas de desenvolvimento sustentável. A instituição é dirigida por Fahad Al Gergawi, que é também CEO da Agência de Desenvolvimento de Investimentos de Dubai (Dubai FDI).

O programa anunciado em Davos foi batizado de “IPAs Capacity 2030”. O ano é uma referência ao prazo para implementação das metas de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas (ODS). O projeto pretende capacitar as agências para que elas consigam atrair recursos de um bolo global previsto para chegar a US$ 15 trilhões até 2030.

“Com foco na atração de investimentos relacionados aos objetivos de desenvolvimentos sustentável, as IPAs não vão apenas desafiar a tendência de declínio do fluxo mundial de IED, mas vão ajudar a elevar este fluxo para um nível inédito, estimado em US$ 15 trilhões mundialmente e 2030”, disse Bostjan Skalar, diretor-executivo da Waipa, segundo a WAM.

Vale lembrar que o recorde do fluxo mundial de IED foi atingido em 2007, com uma movimentação anual de US$ 1,9 trilhão, e esta marca até hoje não foi ultrapassada.

Vários países têm estas agências, cujo objetivo é atrair recursos estrangeiros. O Brasil, por exemplo, tem a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

De acordo com a WAM, o programa será centrados em três áreas a serem fortalecidas dentro das agências: Capacidade de Absorção, que consiste na formação de um portfólio de projetos de desenvolvimento sustentável prontos para receber investimentos; Capacidade Institucional, que se refere a condições efetivas de atrair e se beneficiar de investimentos em setores relevantes para os objetivos de desenvolvimento sustentável; e Capacidade Profissional, que diz respeito à habilidade de entrar em novos mercados, adotar novas tecnologias, criar novos produtos, serviços e modelos de negócios que contribuam para o desenvolvimento sustentável.

Será realizada uma oficina sobre o tema em abril para mostrar como atrair os jovens e profissionais talentosos para trabalhar com IED.

World Economic Forum/Benedikt von Loebell

Publicações relacionadas