Emaar adquire e-commerce de moda

O braço de varejo do grupo comprou a totalidade da loja de comércio eletrônico Namshi, uma das mais populares do segmento na região.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A Emaar Malls, empresa de varejo do grupo Emaar Properties, dos Emirados Árabes Unidos, anunciou que adquiriu integralmente a loja de comércio eletrônico de moda Namshi, uma das maiores na região na área. A informação foi publicada em sites do Golfo, entre eles o Arabian Business, nesta segunda-feira (25).

A Emaar já tinha participação majoritária no negócio, de 51%, mas agora comprou a totalidade do e-commerce que pertencia ao Global Fashion Group (GFG). A aquisição da primeira parte do capital ocorreu há cerca de dois anos. A compra dos demais 49% foi feita por 475,5 milhões de dirhams (US$ 129,5 milhões).

A Emaar Malls chamou a aquisição completa da Namshi de evolução natural da estratégia digital da empresa para alavancar o mercado de comércio eletrônico ascendente na região do Oriente Médio e Norte da África.

A Namshi tem uma base de 1,2 milhões de clientes ativos e fez vendas de 849 milhões de dirhams (US$ 231 milhões pela conversão atual) no ano passado, com crescimento de 16% sobre o ano anterior, segundo o Arabian Business. Fundada em 2011, a Namshi comercializa cerca de 700 marcas de moda, incluindo algumas das líderes mundiais.

“O notável crescimento da Namshi mostra o potencial do comércio eletrônico de moda na região, onde, todos os dias um número maior de pessoas faz compras on-line para satisfazer seus desejos de moda”, disse o presidente da Emaar Properties, Mohamed Alabbar (foto acima), segundo nota divulgada. O CEO da Emaar Malls, Patrick Bousquet-Chavanne, afirmou que a Namshi é uma história de sucesso notável que reflete os hábitos de compra em mudança entre clientes da moda jovens e conscientes na região.

O portal da Namshi permite compras não apenas em países do Golfo como Arábia Saudita, Kuwait, Emirados, Bahrein e Omã, mas também em países como Argélia, Marrocos, Albânia, China, Canadá, em um total de cerca de 80 mercados.

Karim Sahib/AFP

Publicações relacionadas