Exportação de carne bovina cresceu em maio

Brasil aumentou embarques em 35% no mês passado e em 18% nos cinco primeiros meses do ano. Egito e Emirados figuraram entre os principais destinos.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – As exportações de carne bovina do Brasil avançaram 35% em maio e 18% no acumulado dos cinco primeiros meses deste ano, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira (10) pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) com base em dados do governo federal. O Egito foi o segundo maior comprador de janeiro a maio.

Em maio, a exportação de carne processada e in natura teve o melhor resultado mensal do ano. O volume embarcado foi de 150,2 mil toneladas contra 111,5 mil toneladas em maio de 2018. Em receita, o Brasil faturou US$ 573,7 milhões no mês passado, contra US$ 462,9 milhões em igual mês do ano anterior, o que resultou em crescimento de 24%.

De janeiro a maio, o Brasil exportou 694,3 mil toneladas de carne bovina. No mesmo período de 2018 foram 590 mil toneladas. A receita variou menos, 8%, ao sair de US$ 2,39 bilhões nos cinco primeiros meses de 2018 para US$ 2,59 bilhões em igual período deste ano.

A China reduziu as compras, mas seguiu sendo o maior destino no exterior da carne bovina brasileira de janeiro a maio. Em seguida veio Egito, com 60,6 mil toneladas compradas. O Irã foi o terceiro maior comprador e os Emirados, país árabe como o Egito, foi o quarto destino, com 40,7 mil toneladas. Chile e Rússia vieram em seguida. De acordo com a Abrafrigo, 95 países aumentaram suas importações da carne bovina do Brasil no acumulado do ano e outros 53 reduziram.

O maior volume da exportação saiu do Brasil pelo Porto de Santos, que respondeu por 63,5% dos embarques totais. O segundo porto de saída foi São Francisco do Sul, em Santa Catarina, e o terceiro Paranaguá, no Paraná.

Divulgação/ANPR

Publicações relacionadas