Líbano aprova orçamento com corte de gastos

Governo aprovou orçamento austero para 2019 com a meta de reduzir déficit de 11,5% para 7,5% do PIB.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O governo do Líbano aprovou nesta segunda-feira (27) o seu orçamento de 2019 com profundo corte de gastos para tentar reduzir o déficit para 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) e evitar a crise financeira, segundo notícia publicada no Arab News e em outros sites árabes de notícias. No ano passado, o déficit alcançou 11,5% do PIB.

O ministro das Finanças do Líbano, Ali Hassan Khalil (foto acima), disse em entrevista coletiva transmitida pela televisão que o orçamento reflete a vontade real do governo de tomar um caminho corretivo nas finanças do país. De acordo com o ministro, o cálculo foi feito baseado em uma previsão de crescimento de 1,2% na economia do Líbano em 2019.

O orçamento deve ainda passar por aprovação no parlamento libanês. A dívida pública do país árabe é uma das mais pesadas do mundo e equivale a 150% do PIB local. O setor público concentra as maiores despesas do governo, seguido pelo custo da dívida pública e dos subsídios para o setor elétrico, considerado ineficiente.

Khalil disse que o orçamento foi bem recebido no exterior. No ano passado, doadores internacionais anunciaram gastos de US$ 11 bilhões em infraestrutura no país árabe em troca da implementação de reformas. “Reduzir o déficit é uma necessidade internacional”, afirmou o ministro. Ele disse que agora espera que os novos projetos de investimentos comecem no país.

O ministro das Finanças afirmou que esforços do Ministério da Fazenda para manter o déficit alinhado com as projeções orçamentárias mostrarão sua seriedade do anunciado. Khalil acredita que a injeção e o lançamento de novos projetos de investimentos no país terão um “grande impacto na movimentação da economia”.

National News Agency/Líbano

Publicações relacionadas