Ministro discutiu eficiência energética nos Emirados

Ricardo Salles, da pasta do Meio Ambiente, teve encontros com ministros e executivos de empresas do país árabe. Ele iniciaram conversas para cooperação na área.

Isaura Daniel
isaura.daniel@anba.com.br

São Paulo – O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, quer trazer para o Brasil a experiência dos Emirados Árabes Unidos de aplicação de tecnologia para melhor uso dos recursos naturais. A caminho do Japão, o ministro cumpriu agenda nesta terça (11) e quarta-feira (12) no país árabe, onde foi recebido por ministros e líderes de grandes empresas da área de energia.

Em entrevista exclusiva à ANBA por telefone, o ministro disse que os Emirados têm desenvolvido uma agenda importante na área de mudanças climáticas e no emprego de tecnologias para eficiência energética, melhor uso da água e utilização de energia solar. “São avanços tecnológicos que podem ser muito úteis para o Brasil”, falou Salles.

Ministro foi recebido para reunião na Dewa

O ministro conversou sobre o tema da eficiência energética com o CEO da Dubai Electricity And Water Authority (Dewa), Saeed Al Tayer, com Mohamed Jameel Al Ramahi, CEO da Masdar, companhia que leva adiante projeto de cidade sustentável com o mesmo nome, e com o ministro das Mudanças Climáticas e Meio Ambiente dos Emirados, Thani Al Zeyoudi.

Segundo Salles, tanto Brasil como países árabes, em especial Emirados, têm muito potencial para energia fotovoltaica. “Aqui está se utilizando em larga escala energia fotovoltaica”, disse ele. O ministro afirmou que, inclusive, a energia solar é usada na dessalinização da água nos Emirados, tornando menor o custo dos projetos.

No Brasil, o uso da energia solar não é tão elevado como nos Emirados, mas o potencial é grande, segundo Salles. A experiência do país árabe com a dessalinização foi explorada nos encontros do ministro. “Em regiões brasileiras como o Nordeste, essa tecnologia que os Emirados desenvolveram é muito útil”, afirmou o chefe do Meio Ambiente.

Na Dewa (foto do alto), o ministro brasileiro conheceu o trabalho pela diminuição de perdas de água na distribuição. O índice dos Emirados é de 3,5%, enquanto no Brasil, em alguns locais, beira 30% ou até mais, segundo Salles. “Mostra que podemos ter muita melhoria na parte da gestão da água”, disse.

Ricardo Salles falou com os seus interlocutores sobre cooperação e como transformá-la em ações concretas. O ministro acertou que até a próxima agenda do Brasil com Emirados na área de eficiência energética – o que pode envolver o Ministério do Meio Ambiente ou outras partes do governo brasileiro – serão propostos acordos e formas de materializar as parcerias.

O ministro disse que em uma eventual viagem do presidente da República, Jair Bolsonaro, aos Emirados, o tema da energia solar deve ser uma das pautas. Em abril, o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, afirmou que Bolsonaro deve visitar países árabes. “Uma eventual vinda do presidente nos permitiria estreitar ainda mais essa agenda”, disse o ministro. Caso Bolsonaro não vá aos Emirados, mesmo assim será trabalhada a melhor maneira de levar o conhecimento  na área para o Brasil, segundo o ministro.

O titular da pasta do Meio Ambiente teve reunião ainda com a ministra de estado para Cooperação Internacional e diretora-geral da Expo Dubai 2020, Reem Ebrahim Al Hashimy. Ela manifestou vontade de que o Brasil leve para a mostra ideias concretas que possam ter continuidade após a exposição. A exposição é mundial e ocorre sempre em diferentes países. Nos Emirados, ela começa em outubro de 2020 e termina em abril de 2021.

“A Expo 2020 é o início de alguma coisa, não um fim em si mesmo”, falou o ministro. Ele conversou com Hashimy sobre a possibilidade de mostrar na exposição a produção sustentável do Brasil – como um exemplo para o mundo, segundo Salles – e as opções do País em ecoturismo relacionado a unidades de conservação.

“A mensagem que nós queremos passar é justamente de um país que produz com sustentabilidade, que usa de maneira adequada todos os seus recursos naturais e que fornece alimentos para o mundo, alimentos esses produzidos de forma sustentável”, disse Ricardo Salles.

O ecoturismo, aliás, também foi assunto do encontro do ministro do Meio Ambiente com o presidente e CEO do grupo Emirates, Ahmed Bin Saeed Al Maktoum. Segundo Ricardo Salles, eles trataram de ações que podem ser feitas para que haja mais fluxo de turistas dos Emirados ao ecoturismo brasileiro.

O ministro brasileiro cumpriu agenda no país com o apoio e acompanhamento do embaixador do Brasil em Abu Dhabi, Fernando Igreja.

Divulgação
Dewa

Publicações relacionadas