Petrobras cria processo para desintegrar garrafas PET

Pesquisadores da companhia desenvolvem tecnologia que acelera degradação de polímero que é insumo das garrafas.

Agência Brasil
pauta@ebc.com.br

Rio de Janeiro – Pesquisadores da Petrobras estão desenvolvendo um processo para acelerar a degradação do polímero que compõe as garrafas PET em até sete dias. A tecnologia do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) utiliza enzimas que possibilitam recuperar os componentes das garrafas, sob pressão e temperatura brandas.

Iniciados há quatro anos, os estudos já permitem “vislumbrar a viabilidade técnica de uma utilização do processo em larga escala”. Uma das maiores vilãs para o meio ambiente, principalmente para o ecossistema marinho, a produção mundial de garrafas PET é estimada em 50 milhões de toneladas por ano e o percentual de reciclagem é de 18%.

No Brasil, segundo dados do último censo da Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), responsável pelo levantamento de estatísticas sobre plástico, o descarte de embalagens é de 550 mil toneladas por ano e a taxa de reciclagem da ordem de 51%. “O que leva à conclusão de que a fração que hoje não é reciclada no país chega a um montante de resíduos de PET de 270 mil toneladas”, informou a Petrobras.

 

Fernando Frazão/Agência Brasil

Publicações relacionadas