Arábia Saudita planeja o maior centro halal do mundo

A SFDA, que funciona como vigilância sanitária saudita, anunciou planos de lançar um centro de produtos e serviços halal. Objetivo é que ele seja referência mundial.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A Arábia Saudita pretende lançar o maior centro de alimentos e produtos halal do mundo, segundo notícia publicada nesta quarta-feira (25) no site Gulf Business. O anúncio foi feito pela Autoridade Saudita para Alimentos e Drogas (SFDA, na sigla em inglês).

O objetivo é fazer do local uma referência em alimentos e produtos halal, além de serviços e certificação halal. A ideia é que o centro também abrigue estudos no segmento em colaboração com universidades e instituições de pesquisa.

O presidente executivo da SFDA, Hisham bin Saad Al Jedaie, afirmou que o plano faz parte da agenda de reformas Visão 2030 da Arábia Saudita e será impulsionado pela boa posição geográfica do país árabe e do seu papel como berço da religião islâmica.

A SFDA quer dar ao centro um papel de liderança mundial e com ele fortalecer o sistema halal por meio de um sistema de supervisão e uso de recursos humanos altamente qualificados na área. Ele deve manter a prática halal a par do desenvolvimento da indústria de alimentos.

Segundo o Gulf Business, assim que estabelecido, o centro deverá ser o responsável pela concessão de certificados e selos halal a produtos e estabelecimentos, por treinamento na área e por reconhecimento de outros organismos de certificação halal. O estabelecimento também pretende congregar os fornecedores de serviços de logística nacionais e internacionais que atuam com produtos e serviços halal.

Não foram anunciados ainda montante de investimento e nem data para abertura do centro.

Um relatório publicado pela Centro de Desenvolvimento da Econômica Islâmica de Dubai com a Thompson Reuters informa que os gastos de muçulmanos no mundo com alimentos e bebidas somam US$ 1,2 trilhão por ano e que devem passar a US$ 1,93 trilhão até 2020.

O consumo de produtos farmacêuticos passará de US$ 83 bilhões para US$ 132 bilhões e o de cosméticos sairá de US$ 57,4 bilhões para US$ 82 bilhões na mesma comparação. Segundo o relatório, a Malásia é maior mercado de alimentos halal no mundo.

Philippe Huguen/AFP

Publicações relacionadas