Brasil foi quarto maior fornecedor do Bahrein em janeiro

O país do Golfo fez importações de US$ 990,4 milhões no primeiro mês do ano e o Brasil figura como quarto no ranking de fornecedores internacionais, segundo dados da Autoridade de Informação e Governo Eletrônico do Bahrein.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O Brasil figurou como o quarto maior fornecedor internacional do Bahrein em janeiro, segundo dados da Autoridade de Informação e Governo Eletrônico (iGA, na sigla em inglês) do país árabe. As vendas de produtos brasileiros aos bareinitas somaram US$ 78 milhões no primeiro mês deste ano e US$ 30,2 milhões em janeiro do ano passado, com um aumento de 159%. Os dados não incluem importações de petróleo.

A China foi a maior fornecedora de produtos ao Bahrein em janeiro, com US$ 142,7 milhões, seguida por Emirados Árabes Unidos, com US$ 97,1 milhões, e depois pela Arábia Saudita, com US$ 91,6 milhões. Após o Brasil, que figurou como quarto no ranking de fornecedores, veio a Índia, com vendas de US$ 67,8 milhões ao país do Oriente Médio.

Os produtos que o Bahrein mais importou em janeiro foram, em ordem decrescente, minérios de ferro não aglomerados, óxidos de alumínio, lingotes de ouro, jipes, alumínio bruto, telefones celulares, carros, óleo lubrificante para motores e medicamentos. Os três primeiros tiveram valores acima de US$ 10 milhões. A importação do minério foi de US$ 32,6 milhões.

Como um todo, as importações do Bahrein somaram US$ 990,4 milhões em janeiro deste ano e recuaram 9,5%. No primeiro mês de 2018, as compras internacionais somaram US$ 1,09 bilhão. Na moeda local, porém, as importações recuaram 10,5%, de 411,6 milhões de dinares bareinitas para 372,4 milhões de dinares bareinitas.

Divulgação

Publicações relacionadas