Catedral da Sé terá concerto gratuito do Quarteto Refugi

Apresentação do grupo musical neste sábado integra o projeto Cem Anos da Cripta da Catedral da Sé, em São Paulo. Entre os músicos está o palestino Yousef Saif e o brasileiro de origem libanesa Claudio Kairouz.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – O Quarteto Refugi vai se apresentar na Catedral da Sé, em São Paulo, neste sábado (14). O grupo é formado por músicos que atuam na Orquestra Mundana Refugi, que reúne imigrantes e refugiados. A apresentação é gratuita e acontecerá dentro do Projeto Cem Anos da Cripta da Catedral da Sé, lançado em julho. A programação conta com novos artistas todos os sábados. Na foto acima, o primeiro concerto aberto e gratuito realizado até hoje no Coro da Catedral da Sé, dentro do projeto que celebra o centenário da cripta.

O show do quarteto ocorrerá às 16 horas, na Sala do Piano. Entre os integrantes do grupo estão o palestino Yousef Saif e o brasileiro descendente de libaneses Claudio Kairouz.

O quarteto: Yousef, Mathilde, Carlinhos e Claudio

Claudio tem formação inicial em piano e toca o instrumento de origem árabe qanoun, ou kanun, peça que deu origem ao cravo. Ele começou a tocar kanun a partir de viagens que realizou ao Líbano, conforme a ANBA já contou.

Yousef toca o bouzouk, instrumento da família do alaúde. Ele nasceu na cidade de Jeddah, na Arábia Saudita, onde seu pai trabalhava, mas logo retornou com sua família para Tulkarm, na Palestina, onde viveu até os 21 anos. Em 2017, Yousef buscou refúgio no Brasil, onde mora desde então.

Além deles, o brasileiro Carlinhos Antunes, idealizador da Orquestra Mundana Refugi, toca violão, e a francesa Mathilde Filliat se alterna entre o violino e a rabeca. O Quarteto Refugi traz um recorte do repertório da Orquestra Mundana Refugi, permitindo mais destaque de cada um em seu próprio instrumento.

Centenário

A cripta foi erguida antes da catedral em si e, em 2019, celebra seu centenário. A estrutura está a sete metros de profundidade em relação à Praça da Sé, marco zero da capital, e abriga 32 câmaras mortuárias, 18 delas ocupadas por personagens ligados à igreja e à cidade de São Paulo. Um dos corpos sepultados ali é o do cacique Tibiriçá, considerado um dos fundadores de São Paulo, em 1554, ao lado de Manuel da Nóbrega e José de Anchieta.

A série de concertos promovidos pelo projeto vem tornando acessíveis os espaços pouco conhecidos da Catedral da Sé. Ao todo, serão 30 apresentações. Já passaram pelo projeto outros dois artistas ligado à cultura árabe. Em agosto, o duo Raouf Jemni, que toca kanun, e Mauricio Mouzayek, com o riq, considerado um precursor do pandeiro, executaram músicas árabes, hispânicas e orientais.

Os eventos serão todos gratuitos e ocorrem na própria cripta e em outros locais de acesso restrito da catedral, como os salões do piano. Os concertos oferecem entre 80 e 120 lugares, duração média de uma hora, e transmissão ao vivo nas redes do projeto. A programação vai até março de 2020.

Serviço

Quarteto Refugi nos ‘Cem Anos da Cripta da Catedral da Sé’
A partir das 16 horas
Dia 14 de setembro
Na Sala do Piano da Catedral da Sé – Praça da Sé, s/n – São Paulo
Mais informações no site: www.concertoscripta.com.br / Instagram: @concertoscripta

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas