Dubai espera crescer 2,1% este ano e 3,8% no próximo

A previsão leva em consideração investimentos estatais, aquecimento das economias de países parceiros e os preparativos para a Expo 2020. Em 2018, o emirado cresceu 1,9%.

Da Redação
anba@anba.com.br

Dubai – Dubai espera crescer 2,1% este ano, 3,8% no próximo e 2,8% em 2021, segundo relatório divulgado neste domingo (21) pelo Departamento de Desenvolvimento Econômico do emirado. As previsões levam em consideração a realização de iniciativas e investimentos estatais, o crescimento econômico de parceiros comerciais e os preparativos para a Expo 2020, exposição mundial que vai ocorrer em Dubai. Estes fatores influenciam o aumento do crédito e dos investimentos provados no emirado, segundo informações da Emirates News Agency (WAM).

O relatório informa que houve aceleração do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no início do ano, com um pico na emissão de licenças para novos negócios e otimismo em relação à geração de empregos e à performance das empresas.

No primeiro trimestre, foram emitidas 6,7 mil novas licenças, um aumento de 29% sobre o mesmo período do ano passado. O Índice de Confiança das Empresas chegou a 10,2 pontos nos três primeiros meses de 2019, contra 7,7 pontos no período de janeiro a março de 2018.

No primeiro trimestre, o Índice Geral do Mercado Financeiro de Dubai, a bolsa de valores local, subiu 4%. No ano passado, Dubai recebeu 38,5 bilhões de dirhans (US$ 10,48 bilhões) em investimentos estrangeiros diretos, um aumento de 41% sobre 2017.

Já em 2018 a economia havia começado a acelerar. O crescimento registrado no primeiro semestre foi de 1,7%, ao passo que no segundo o PIB avançou 2,2%. No acumulado do ano, o crescimento ficou em 1,9%.

Para garantir o crescimento econômico nos próximos anos, o emirado vem procurando incentivar iniciativas nas áreas de inteligência artificial, internet das coisas e indústria 4.0, além de liberalizar seu ambiente de negócios.

As obras ligadas à Expo 2020 são estimadas em 38 bilhões de dirhans (US$ 10,34 bilhões), e a feira em si deverá movimentar 23 bilhões de dirhans (US$ 6,26 bilhões). Os setores mais beneficiados devem ser os de turismo, comunicações, serviços financeiros, transportes, imobiliário e de varejo. Pequenas e médias empresas podem ficar com uma fatia de 5,2 bilhões de dirhans (US$ 1,41 bilhão).

O legado do evento pode gerar benefícios estimados em 62 bilhões de dirhans (US$ 16,88 bilhões) até 2030.

WAM

Publicações relacionadas