Marca árabe tem interesse em exportar perfumes ao Brasil

Abaq, de Dubai, procurou o estande da Câmara Árabe na feira Beautyworld Middle East como passo para entrar no mercado brasileiro.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

Dubai – As oportunidades de comércio entre Brasil e países árabes no setor de cosméticos foram vistas como via de mão dupla durante a Beautyworld Middle East 2019, feira do ramo que terminou nesta quarta-feira (17) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. A avaliação é do chefe do escritório internacional da Câmara de Comércio Árabe Brasileira no emirado, Rafael Solimeo, que esteve no estande da entidade durante a mostra.

Além das empresas brasileiras interessadas em entrar ou se consolidar no Oriente Médio, há empresas árabes que buscam chegar ao mercado brasileiro. Segundo Solimeo, o estande recebeu empresários interessadas em ações diversas, para além da representação de marcas brasileiras. “Os árabes querem importar os produtos brasileiros e também estão de olho no nosso mercado nacional de cosméticos, que é importante globalmente”, afirmou Solimeo. De acordo com ele, um dos setores interessados em entrar no Brasil é o de perfumes.

Ibrahim Ayazidi (esq.), da Abaq, e Solimeo: empresa quer vender perfumes ao Brasil

Um exemplo é a Abaq, empresa que fica em Dubai, e vende perfumes. “Nossa visão é oferecer qualidade não apenas para fazer um perfume, mas construir toda uma identidade. E nós estamos buscando entrar no mercado brasileiro, porque assim como eles (brasileiros) estão aqui (em Dubai), nós também queremos estar lá para compartilhar nosso conhecimento e cultura”, declarou Ibrahim Ayazidi, gerente de operações da empresa. Ele visitou a feira nesta quarta e esteve com Solimeo.

A Câmara Árabe lançou seu escritório internacional em Dubai em fevereiro deste ano. “Eu percebi a importância disso (do escritório internacional) para fortalecer e dar continuidade aos contatos com os árabes que queiram fazer projetos com o Brasil”, afirmou Solimeo.

Outra tendência no comércio entre Brasil e árabes apontada por ele é a busca de empresas árabes que querem terceirizar as produções de marcas para fábricas do Brasil, como o serviço oferecido pela Timage durante a feira. Ainda sobre a terceirização, houve procura de empresas de países como o Iraque por serviços do gênero feitos por empresas do Brasil.

Outra empresa que esteve no estande da Câmara Árabe foi 3M Three Miles. Ela procura fazer o caminho inverso e planeja visitas ao Brasil para encontrar marcas para representar no Oriente Médio. Sami Zainab, gerente comercial da companhia, esteve na Beautyworld e procurou, por meio da Câmara Árabe, indústrias que produzem produtos de beleza à base de proteína e queratina. “Planejamos um dia ir ao Brasil para visitar as fábricas e conhecer os empresários que produzem lá”, comentou Zainab.

Thais Sousa / ANBA

Publicações relacionadas