Governo de São Paulo abrirá escritório comercial em Dubai

Além de promover exportações do estado aos Emirados Árabes Unidos, a iniciativa vai promover o programa de desestatização. Inauguração está prevista para 2020.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria Júnior, anunciou que o estado vai abrir um escritório comercial em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. O funcionamento está previsto para começar em fevereiro de 2020. Em coletiva de imprensa (foto acima) nesta sexta-feira (24), o governador afirmou que, assim como o escritório em Xangai, na China, previsto para ser inaugurado ainda em 2019, todos os custos para a abertura em Dubai serão arcados pelo governo dos Emirados e empresas parceiras.

A iniciativa vai promover o programa de desestatização do estado em cinco áreas: ferrovias, hidrovias, portos, aeroportos e fundo imobiliário. “Para São Paulo, isso tem uma função estratégica, porque quatro dos cinco maiores fundos do mundo estão nos Emirados Árabes. Estes fundos, alguns dos quais já estão aqui, inclusive com investimentos poderosos no Porto de Santos, têm interesse claro no programa de desestatização, sobretudo infraestrutura e obras”, disse Doria. O escritório deve ter equipe de até seis pessoas e ainda não tem chefia definida.

O anúncio do escritório ocorreu após reunião do governador com Sultan Ahmed Bin Sulayem, CEO da DP World e Presidente da Cooperação de Portos, Aduanas e Zonas Francas de Dubai, e o Cônsul Geral dos Emirados Árabes em São Paulo, Ibrahim Salem Humaid Ali Alalawi, na quinta-feira (23). A DP World é uma operadora de portos com sede em Dubai e, em Santos, controla o terminal DP World Santos, antigo Embraport. Sulayem se reuniu com várias autoridades brasileiras esta semana.

O escritório vai buscar também ampliar as exportações do estado ao emirado, que é uma porta de entrada para outros países árabes e do Oriente Médio. “Bens manufaturados, produtos do agronegócio, sobretudo proteína animal, representam os principais interesses de [exportação de] São Paulo para os Emirados Árabes Unidos”, afirmou o governador, lembrando ainda produtos como laranja e derivados de cana-de-açúcar. Em 2018, a corrente comercial entre Brasil e Emirados somou US$ 2,6 bilhões, sendo que São Paulo respondeu por 33% desse total.

O cônsul dos Emirados, Ibrahim Salem Alalawi (esq.), falou sobre a abertura do escritório

Também participou da coletiva o cônsul dos Emirados em São Paulo. “Os Emirados Árabes Unidos sabem a importância de São Paulo para o nosso país. Nossas grandes empresas já têm escritórios aqui em São Paulo, o que mostra a importância do estado”, declarou Alalawi, citando exemplos como o escritório da Câmara de Comércio de Dubai e a Agência de Exportações de Dubai (Dubai Exports). “Em quatro meses desse ano já temos U$ 1 bilhão em comércio [entre Brasil e Emirados], o que me faz ser otimista que vamos melhorar bem esse ano. E esse escritório, sem dúvida nenhuma, vai criar oportunidade para que mais empresas dos Emirados Árabes Unidos possam investir em São Paulo”, acrescentou.

João Doria tem viagem prevista para os Emirados e Catar em junho. “Para nós, o Oriente Médio é estratégico e neste contexto programamos a viagem a Doha, no Catar, onde há também fundos soberanos importantes, e para os Emirados, onde vamos ter o escritório do Oriente Médio, que será a base. Pela facilidade de logística, e pelas facilidades concedidas também, Dubai foi escolhida pelo governo de São Paulo para implantação do escritório”, informou Doria, destacando a importância da região para o agronegócio e ainda para a indústria automobilística, que ele acredita que terá expansão.

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas