Produção de café saudita deve atingir 300 toneladas em 2020

Expectativa se deve ao aumento na produção nas montanhas de Jazan, no Sudoeste do país árabe, quase na fronteira com o Iêmen.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A produção de café na Arábia Saudita deve ultrapassar as 300 toneladas até o final de 2020 devido ao aumento da produção na região de Jazan (foto), no Sudoeste do país árabe, quase na fronteira com o Iêmen, com pouco mais de 120 mil habitantes. O 7º Festival de Grãos de Café da região começa em 30 de janeiro e vai até 05 de fevereiro em meio a essa expectativa.

“O festival deste ano é completamente diferente em termos de atividades, mais voltado para a exibição de produtos locais dos cafeicultores sauditas”, disse Mefarah Al-Malki, diretor do festival, ao jornal saudita Arab News. “Teremos novos programas para destacar as realizações de jovens homens e mulheres sauditas”, completou.

O premiado produtor de café Hussain Hadi Al-Malki, da província de Al-Dayer, disse que a região de Jazan, na qual fica a província, produziu 250 toneladas de café no ano passado, mas este ano a produção chegará a 300 toneladas. Ele acrescentou que Al-Dayer responde por 80% da produção de grãos de café de Jazan e que a região conta com mais de 700 cafeicultores.

Os grãos de café são plantados e cultivados a uma altitude de 800 a 2.000 metros acima do nível do mar. Quanto maior a altitude, maior o rendimento e a qualidade. Os grãos precisam de cuidados especiais e levam até cinco anos até a produção a partir do momento em que uma semente é plantada.

Hussain disse que as árvores de café devem ser podadas adequadamente e seus galhos superiores devem ser cortados para que a árvore não ultrapasse os dois metros de altura.

“O plantio de café no reino enfrenta vários desafios, como mão de obra, água para irrigação e custos. Não há investimentos reais nesse campo”, disse ele ao Arab News. “Os agricultores precisam de apoio desde o momento em que cultivam grãos de café até o estágio de produção, a fim de cobrir despesas e custos associados”, finalizou.

A Sociedade para a Preservação do Patrimônio Saudita (Saudi Heritage Preservation Society) pediu à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) que proteja as técnicas tradicionais de cultivo de café Khawlani na Arábia Saudita. A tradição árabe é transmitida há gerações pelas antigas tribos de Khawlan, que cultivam e processam grãos de café Khawlani nos vales de Jazan há mais de 300 anos.

Os esforços para começar a preservar esse legado começaram em 2019 com a documentação do processo de cultivo de grãos de café Khawlani por agricultores locais. Com as práticas sendo transmitidas oralmente, as técnicas de cultivo do café Khawlani são cruciais para a preservação não apenas da identidade cultural do país, mas também da história islâmica, como o café foi cultivado pelos monges sufis no Iêmen.

*Com informações do jornal Arab News.

Divulgação

Publicações relacionadas