Sírios podem estrear no futebol brasileiro domingo

Dois jovens refugiados estão aptos para jogar pelo Pérolas Negras contra o Bela Vista pelo Campeonato Carioca Série B2 Sub-20. Partida ocorre às 12h45, em Itaboraí.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – Dois refugiados sírios que vieram ao Brasil no ano passado para treinar futebol podem fazer sua estreia em jogos de campeonato neste final de semana, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (07) pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

Ahmad (dir, na foto) e Hafith (esq.) fazem parte de um grupo de cinco sírios que chegaram ao País no ano passado para treinar no Pérolas Negras, time e academia de futebol de Paty do Alferes, no Rio de Janeiro, vindos do campo de refugiados de Zaatari, na Jordânia.

De acordo com o Acnur, os dois jogadores estão inscritos no Campeonato Carioca Série B2 Sub-20 e podem estrear no domingo (09), no estádio Alzirão, em Itaboraí, na região metropolitana do Rio. O Pérolas Negras enfrenta o Bela Vista às 12h45.

Ahmad tem 17 anos e nasceu em Homs, na Síria. Ele deixou seu país natal antes de completar 10 anos, em função do conflito civil. “Antes da guerra, um time levava anualmente dez meninos para treinar no Catar. Eu fui selecionado, mas não pude ir porque foi quando a guerra começou”, disse o jogador de meio-campo, segundo comunicado do Acnur. De acordo com a agência da ONU, o garoto é fã de Neymar.

Hafith nasceu em Daara, no Sudoeste da Síria, e ganhou o apelido de Marcelo, pois é fã do lateral-esquerdo brasileiro que joga no Real Madrid. “Eu estou superbem aqui [no Brasil]. A minha única dificuldade, realmente, é com o idioma, mas eu sei que vou superar este obstáculo e que vai ficar tudo bem”, afirmou ele, segundo o Acnur.

Ana Rosa Alves/Unic

Publicações relacionadas