Brasileiros vão mais, e em viagens mais longas, à Jordânia

Número de turistas do Brasil que viajaram à Jordânia no primeiro semestre de 2019 aumentou 39,8%, frente ao mesmo período de 2018. Visitantes também estão pernoitando por mais dias no país árabe.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – O número de brasileiros que viajaram à Jordânia no primeiro semestre de 2019 aumentou 39,8% em relação ao mesmo período de 2018. No total, foram 9.371 os turistas que conheceram o país árabe entre janeiro e julho deste ano. Os dados foram divulgados neste mês pelo Escritório de Turismo da Jordânia. No período, também chama atenção o crescimento de pernoites de brasileiros no destino, 27,6% maior do que no ano anterior.

E ao que se deveu esse aumento? “A Jordânia tomou a decisão de entrar para começar o trabalho. Investir para plantar a semente. Começaram com um investimento bem simbólico, não falamos do valor, mas foi feito com operadores de turismo. E trabalho bem focado em comunicação”, afirma Gisele Abrahão, diretora da Global Vision Access (GVA), empresa responsável pelo marketing e comunicação do Visit Jordan (Escritório de Turismo da Jordânia) no Brasil.

Para uma experiência mais completa no destino, a diretora da GVA indica pelo menos dois dias em Petra

A GVA assumiu marketing e comunicação do destino no Brasil em janeiro de 2019. Para Abrahão, o trabalho de base foi o que levou ao aumento. “A meu ver como representante de destinos, tudo se modifica quando tem conhecimento. Uma vez que sabem o que está disponível para eles, eles vão. O que fizemos é realmente mostrar essa diversidade de oportunidade”, apontou. O maior foco da empresa neste ano foi em mostrar a Jordânia como um destino único, que não necessariamente precisa ser combinado com a visita a outros países, como Egito e Israel.

Entre as estratégias que a empresa adotou estão trabalhar a imagem do país como um todo e apontar a segurança como destaque. “Mostrar que é um país muito seguro, tem histórico de tolerância e respeito. E a região inteira precisa que eles estejam bem”, pontuou Abrahão.

Outro fato que pode ter contribuído para o aumento, segundo Abrahão, são novas rotas aéreas que ligam o Brasil à Jordânia. Em 2018, a Turkish Airlines, e neste ano a Royal Air Maroc, e mais recentemente, em julho, a Ethiopian Airlines, anunciaram rotas que incluem os dois países.

No comparativo mensal, apenas em julho houve aumento de 60% nas visitas de brasileiros à Jordânia. Ainda assim, Gisele explica que a meta de crescer em 10% o número de brasileiros ao longo deste ano se mantém. O número foi anunciado pelo gerente de Marketing do Escritório de Turismo da Jordânia, Majd Abu Arqub, durante evento realizado na Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo.

A Jordânia além de Petra

Para aumentar o número de pernoites, a GVA tem trabalhado também na divulgação de pacotes mais diversos dentro do país. Para ter uma experiência completa no destino, a diretora da empresa considera necessário no mínimo sete noites. “Estamos fazendo com que os brasileiros fiquem mais na Jordânia. Petra é uma joia, mas a Jordânia tem muitos tesouros. A gente nem fala de [pacote de] um dia. Perguntamos por que a pessoa está indo um dia? Até para Petra um dia não é suficiente. Você precisa fazer uns dois dias”, conclui Abrahão.

Entre os destinos que têm registrado aumento de visitantes brasileiros estão o deserto Wadi Rum (foto no topo da matéria) e o Mar Morto. “Wadi Rum está tendo uma procura bacana porque hoje existem as opções com acampamentos de luxo, por exemplo. E o Mar Morto também. Quando eu estava lá, o pessoal [das agências] do Mar Morto mencionou que os brasileiros eram os [turistas] que eles estavam tendo mais aumento e os que mais usavam os espaços”, afirmou. Entre outras pontos turísticos trabalhados pela GVA estão Jerash e a capital do país, Amã.

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas