Egito, Jordânia e Iêmen importam mais frango brasileiro

Ásia é principal destino, puxada pela China. África teve alta, com destaque para aumento de 15% nas compras egípcias, frente a 2019. Outros dois países árabes que elevaram suas importações foram Jordânia, em 18,9%, e Iêmen, em 6,1%.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – Três países árabes apresentaram aumento nas exportações de carne de frango brasileira ao longo de 2020, frente ao volume comprado em 2019. Um dos destaques foi o Egito, com 58,7 mil toneladas, valor 15% superior ao do ano anterior. Também o Iêmen e a Jordânia importaram mais. Respectivamente, 112,4 mil toneladas, aumento de 6,1%, e 56,8 mil toneladas, alta de 18,9%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (15) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

No total, o Brasil teve leve alta de 0,4% nas exportações de carne de frango em 2020, comparado ao ano anterior. O total embarcado foi de 4,2 milhões de toneladas. Já a receita das exportações do ano ficou em US$ 6,123 bilhões, com queda de 12,5% em relação aos 12 meses de 2019.

O balanço da instituição mostra que as vendas de carne de frango para mercados da Ásia, da África e da Europa mantiveram a alta nas vendas brasileiras em 2020. O continente africano recebeu 555,7 mil toneladas ao longo do ano, resultado 5,1% maior em relação a 2019.

Para os países do Oriente Médio, no entanto, as exportações sofreram baixa de 5,7% em relação ao mesmo período de 2019. O volume embarcado foi de 1,3 milhão de toneladas nos 12 meses de 2020.

Apesar da queda na região como um todo, a ABPA comemora a melhora em destinos específicos. “Os bons resultados na maior parte das regiões importadoras de carne de frango mostram a forte capilaridade das exportações brasileiras e reforçam as boas expectativas para os embarques em 2021, com a recuperação dos níveis de importações, em especial, para os principais destinos do Oriente Médio, que registraram melhora nos níveis das importações no último bimestre de 2020”, analisa Ricardo Santin, presidente da ABPA, em nota.

Conforme a ANBA antecipou em dezembro, a Ásia tomou o lugar do bloco árabe nas compras do produto brasileiro. A região asiática se firmou como principal destino das exportações de carne de frango do Brasil, somando 1,6 milhão de toneladas nos 12 meses do ano passado, resultado 5,8% superior ao de 2019. O destaque ficou com a China, que levou 673,2 mil toneladas, aumento de 15% frente ao que o país comprou no ano anterior.

Segundo a ABPA, ocorreram 67 novas habilitações de plantas exportadoras de carne de frango em 2020. Entre essas novas habilitações, está a do Egito.

Somente em dezembro de 2020, as vendas de carne de frango do Brasil chegaram a 380,8 mil toneladas, volume 2,8% menor em relação ao mesmo período de 2019. A receita caiu no último mês do ano passado com US$ 579,6 milhões, número 8,9% menor em relação ao saldo do último mês de 2019.

Cris Faga/AFP

Publicações relacionadas