Evento revela detalhes de pesquisa com múmia egípcia

Além de mesas redondas, “Achados sobre Iret-Neferet” também vai apresentar reconstituição digital da face da múmia. Evento ocorre nos dias 14 e 15 de agosto.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – Para abordar uma descoberta recente de arqueólogos do Rio Grande do Sul, a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) vai promover o Achados sobre Iret-Neferet, em Porto Alegre, capital do estado. O evento divulga detalhes do processo desenvolvido por pesquisadores da universidade, que comprovou a idade, sexo e origem da cabeça mumificada egípcia batizada de Iret-Neferet. A peça chegou ao Brasil na década de 1950 e estava em um museu da cidade de Cerro Largo, no interior gaúcho.

As mesas redondas acontecerão nesta quarta-feira (14) e quinta-feira (15). O evento é aberto ao público e gratuito. As inscrições serão feitas no mesmo local onde os debates ocorrerão, o Auditório Ir. José Otão – Hospital São Lucas, da PUC.

“O objetivo é mostrar as várias áreas de pesquisa que foram estudadas, o processo de datação com carbono 14, o trabalho de craniometria e cranioscopia que fizeram a determinação do sexo, por exemplo”, explicou à ANBA Edison Hüttner, que participou da pesquisa e é professor na pós-graduação em História da PUC-RS.

Os temas serão expostos pelos próprios pesquisadores do Grupo de Estudo Identidades Afro-Egípcias, da Escola de Humanidades da universidade, que apresentaram as descobertas sobre Neferet, em maio deste ano. A cabeça da múmia poderá ser vista no local e no dia 16 retornará ao Museu de Cerro Largo,  que cedeu a peça para pesquisa.

Além dos processos da pesquisa, o evento apresentará a reconstituição digital da face da múmia egípcia em 3D (foto acima). O trabalho foi feito por uma equipe que inclui Cícero Andrade da Costa Moraes, designer 3D, que fez a modelagem digital da face de outra múmia, Tothmea. Confira, abaixo, o vídeo que mostra a face de Iret-Neferet:

 

Na programação do Achados sobre Iret-Neferet, os primeiros temas serão a pesquisa interdisciplinar, odontologia no processo de datação, determinação do sexo por meio de craniometria e cranioscopia e o envelhecer no Egito Antigo (700-300 a.C.). Já no dia 15, os especialistas vão revelar detalhes sobre as técnicas de mumificação na época tardia, o isolamento de micro-organismos, aproximação facial de Iret-Neferet e história da Medicina no Egito Antigo e o processo de mumificação.

Serviço:
Achados sobre Iret-Neferet
Dias 14 e 15 de agosto, às 19h30
Auditório Ir. José Otão do Hospital São Lucas – Av. Ipiranga, 6690 – Jardim Botânico, Porto Alegre
Mais informações no site da PUC-RS

Reprodução/Vídeo

Publicações relacionadas