Exposição celebra os 60 anos das relações Brasil-Jordânia

A Embaixada do Brasil em Amã e a Galeria Nacional de Belas Artes da Jordânia realizam a mostra ‘Arte Brasileira Contemporânea, uma Breve Perspectiva’, de 13 a 27 de junho.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – Para celebrar os 60 anos das relações diplomáticas entre o Brasil e a Jordânia, bem como os 35 anos da abertura das embaixadas em ambos os países, a embaixada do Brasil em Amã e a Galeria Nacional de Belas Artes da Jordânia realizam a exposição “Arte Brasileira Contemporânea, Uma Breve Perspectiva” (Contemporary Brazilian Art, A Short Perspective), de 13 a 27 de junho.

A mostra contará com 27 peças, entre quadros, cerâmicas e instalações de artistas brasileiros, como telas de Alfredo Volpi, Alberto da Veiga Guignard, Percy Lau (peruano radicado no Brasil), Dinéia Dutra e Ivana Panizzi (foto acima), cerâmicas de Francisco Brennand, entre outros trabalhos. As peças são do acervo particular do embaixador Francisco Luz, da embaixada do Brasil na Jordânia e da Galeria Nacional. O evento de abertura da mostra contará com caipirinhas de cachaça e croquetes de carne, entre outros quitutes tipicamente brasileiros.

Em datas exatas, segundo o embaixador Francisco Luz, o Brasil e a Jordânia completaram 60 anos de relações diplomáticas em 06 de abril. Os 35 anos da embaixada do Brasil em Amã se deram em 1º de junho, e a embaixada da Jordânia em Brasília fará 35 anos em 1º de setembro próximo.

Obra de Alfredo Volpi estará na exposição

“A Jordânia desempenha um papel estabilizador, é como um oásis de tranquilidade na região (o país faz fronteira com a Síria, Iraque, Arábia Saudita, Palestina e Israel). É um país politicamente importante pela posição geográfica e um posto de observação para tudo o que está acontecendo no Oriente Médio. Com um turismo crescente, ano passado mais de onze mil brasileiros visitaram o país”, disse Luz em entrevista à ANBA por telefone, de Amã.

Segundo o embaixador, a exposição é parte de uma série de eventos culturais que a embaixada vem fazendo desde abril. “Fizemos um festival de música e gastronomia brasileira entre 23 e 27 de abril no hotel Intercontinental, e de 30 de junho a 04 de julho, faremos uma mostra de cinema brasileiro na Royal Film Commission de Amã”, contou.

O comércio entre o Brasil e a Jordânia é majoritariamente composto pela exportação brasileira de carnes bovina e de frango, café e gado vivo. Ano passado, o Brasil vendeu US$ 264 milhões em produtos para o país árabe. De janeiro a maio deste ano, as exportações atingiram US$ 124,5 milhões, o que indica que o ano pode render resultado superior ao de 2018.

“A Jordânia abastece a Cisjordânia e algumas províncias do Iraque e, além da carne e do café, compra ainda chassis de ônibus e equipamentos de cartões magnéticos; o país é uma plataforma de exportação para a Europa e os Estados Unidos”, contou o embaixador, que estima que o comércio Brasil-Jordânia possa atingir, em seu ápice, US$ 500 milhões anuais.

O embaixador Francisco Luz termina seu mandato na Jordânia em setembro e quem assumirá o posto é o atual embaixador do Brasil no Cairo, no Egito, Ruy Amaral.

Serviço

Exposição “Arte Brasileira Contemporânea, Uma Breve Perspectiva”
De 13 a 27 de junho
Abertura em 13 de junho, às 18h30
14 a 27 de junho, das 09 às 18 horas
Galeria Nacional de Belas Artes da Jordânia
Prédio 2, 8º andar
Amã, Jordânia
Mais informações

 

 

 

 

 

Reproduction
Reproduction/Alfredo Volpi

Publicações relacionadas