ANBA em árabe respeita a cultura da região, diz Hannun

Câmara de Comércio lançou nesta quarta-feira, em Brasília, a versão em árabe de sua agência de notícias com o intuito de aproximar o Brasil dos falantes do idioma. O presidente da entidade, Rubens Hannun, disse que uma relação sólida parte do respeito às culturas.

Isaura Daniel
isaura.daniel@anba.com.br

Brasília – A versão em árabe da Agência de Notícias Brasil Árabe (ANBA) foi lançada nesta quarta-feira (14) com o intuito de facilitar o acesso no mundo árabe a notícias sobre o Brasil e as relações do País com o Oriente Médio e Norte da África. Em evento no Hotel Windsor, em Brasília, a capital federal, lideranças da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, diplomatas árabes, jornalistas e representantes do governo e de outros segmentos se reuniram para conhecer mais de perto a iniciativa. A ANBA é o site de notícias da Câmara Árabe.

Da esq. p/ dir, Adghoghi, Sayah, Hannnun e Ghisleni

“Uma relação bem solidificada parte do respeito às culturas, então temos a ANBA em árabe para os árabes, em português para os brasileiros e em inglês para o mundo em geral”, disse o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun, no lançamento. A agência foi criada em 2003 para preencher uma lacuna que havia na comunicação entre brasileiros e árabes, e de lá para cá publicou mais de 50 mil reportagens, nas suas versões em português e inglês. A partir de 14 de agosto, o site passa a publicar também notícias em árabe.

A agência é um canal que mostra oportunidades de negócios para brasileiros e árabes. Hannun apresentou dados do comércio do Brasil com a região e afirmou que desde 2001, dois anos antes da entrada da ANBA no ar, até 2018, os negócios do Brasil com os países árabes cresceram 413%, enquanto o comércio com o mundo avançou menos, 312%. “Nós acreditamos que toda essa troca de informação e conhecimento, aliado a todo o trabalho da Câmara Árabe, das embaixadas árabes no Brasil e brasileiras nos países árabes, nós conseguimos obter esse crescimento”, disse.

Sayah: 400 milhões de pessoas falam o idioma árabe

O embaixador do Líbano em Brasília, Joseph Sayah, que representou no evento o Conselho dos Embaixadores Árabes no Brasil, citou a iniciativa da versão em árabe da ANBA como uma das muitas realizações da Câmara em prol da relações do Brasil com o mundo árabe. “A iniciativa nova da ANBA vai ser muito importante porque agora as notícias do Brasil vão chegar às cerca de 400 milhões de pessoas que falam a língua árabe, criando um melhor entendimento naquela parte do mundo”, disse Sayah.

Além de Hannun e Sayah, também falou no evento o editor-chefe da ANBA, Alexandre Rocha, que apresentou a versão em árabe do site e suas diversas seções e assuntos. No dia de seu lançamento, o site traz entrevistas exclusivas com o vice-presidente Hamilton Mourão, com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e com o secretário-geral da União das Câmaras Árabes, Khaled Hanafy. “O objetivo é ampliar o conhecimento sobre o Brasil entre o público leitor de árabe”, disse Rocha.

Apresentação da nova versão da ANBA

Entre os presentes no evento estava o embaixador do Marrocos no Brasil, Nabil Adghoghi. O diplomata afirmou que a versão em árabe da ANBA vai ajudar a aproximar mais o empresariado árabe e brasileiro para negócios. “Estamos vendo com muita satisfação a boa dinâmica na relação comercial entre os dois lados e, além da dimensão institucional, com envolvimento direto das embaixadas, do governo brasileiro, Ministério da Agricultura, Itamaraty, e também dos empresários, agora essa dimensão informativa, com a língua árabe, vai permitir que Câmara de Comércio Árabe Brasileira tenha um papel ainda de mais destaque nessa aproximação.”

Hannun com embaixadores

Na mesma linha, o embaixador do Egito em Brasília, Alaaeldin Roushdy, destacou a relevância do site para promover a troca de informações entre dois povos. “Este novo projeto é importante como ferramenta para aumentar a comunicação entre brasileiros e árabes”, disse. “[A versão] em inglês é importante, mas árabe todo mundo fala [na região], e o site vai levar informações para o coração do mundo árabe”, acrescentou.

Também presente no evento, o diretor de Relações Internacionais e Eventos do Conselho Federal de Administração (CFA), Gilmar Camargo, afirmou que a iniciativa do site só tem a contribuir para aproximar as comunidades árabe e brasileira. O presidente do conselho diretor da Agência Interamericana de Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável dos Recursos Hídricos (Interáguas), José Antônio Campos Chaves, se disse encantado com a língua árabe, após a apresentação do site, e estimulado a acessá-lo. “Falar com o árabe, com oriental em geral, é mais difícil para nós, e acho que vocês conseguiram quebrar isso”, afirmou ele.

Tamer Mansour (2º esq. p/ dir.) com diplomatas árabes

Para o conselheiro Tareq Al Yassin, vice-chefe da missão diplomática do Kuwait em Brasília, a nova versão da ANBA ajuda a derrubar barreiras. “O Brasil é muito importante para nós. Há mais potencial de cooperação, muitas oportunidades, mas a língua e a distância são dificuldades”, declarou. “Nos perguntam muito sobre o Brasil, e a agência será uma fonte para os interessados em negócios e para quem quer visitar o País”, ressaltou.

“Eu acho que é uma iniciativa muito boa da Câmara Árabe para facilitar a comunicação entre as comunidades árabe e brasileira”, comentou o primeiro-secretário da embaixada da Arábia Saudita no Brasil, Abdullah Alghamdi.

Entre os diplomatas, participaram do lançamento também o encarregado de negócios da embaixada da Jordânia, Mutazz Khasawneh, o segundo conselheiro da embaixada da Mauritânia, Ahmed Hamed, o conselheiro da embaixada saudita Mohammed Khan, e o adido comercial da embaixada do Bahrein, Abdulla Albaker.

Vitórias

O presidente da Câmara Árabe aproveitou para comemorar outras vitórias, como os números do comércio do Brasil com os países árabes. Ele contou do planejamento estratégico da entidade, visando o período de 2018 a 2028, com a meta de que os países árabes se tornem o terceiro maior parceiro comercial do Brasil. “Fechamos 2018 como o quinto parceiro e, agora, nos sete primeiros meses deste ano, as nossas exportações para os países árabes crescendo 17%, já somos o terceiro”, disse ele aos presentes.

Evento ocorreu em Brasília

O executivo lembrou que os países árabes são também o segundo destino dos produtos do agronegócio e o primeiro mercado da proteína animal produzida no Brasil. Outra comemoração de Hannun foram os seis meses de existência do primeiro escritório internacional da Câmara Árabe, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Ele falou que apesar de ficar em Dubai, o escritório existe para cuidar da relação do Brasil com todos os países árabes.

Estiveram presentes no evento, ainda, o diretor do Departamento de Promoção do Agronegócio do Ministério das Relações Exteriores, Alexandre Ghisleni, o secretário-geral da Câmara Árabe, Tamer Mansour, a diretora de Estudos e Projetos do CFA, Gracita Barbosa, e Vivian Oliveira, da consultoria Datagro, entre outros convidados.

Assista abaixo a um vídeo sobre a ANBA produzido para o lançamento do site em árabe.

Johnson Rodrigues/Câmara Árabe
Johnson Rodrigues/Câmara Árabe
Johnson Rodrigues/Câmara Árabe
Johnson Rodrigues/Câmara Árabe
Johnson Rodrigues/Câmara Árabe
Johnson Rodrigues/Câmara Árabe
Johnson Rodrigues/Câmara Árabe

Publicações relacionadas