BC estima redução do PIB do Brasil no 1º trimestre

Ata do Comitê de Política Monetária diz que ‘os indicadores disponíveis sugerem probabilidade relevante de que o Produto Interno Bruto tenha recuado ligeiramente no primeiro trimestre do ano’.

Agência Brasil
pauta@ebc.com.br

Brasília – O processo de recuperação gradual da atividade econômica brasileira sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante. Essa é a conclusão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que decidiu na última quarta-feira (08) manter a taxa básica de juros, a Selic, em 6,5% ao ano.

Segundo ata da reunião do Copom, divulgada nesta terça-feira (14), o arrefecimento da atividade observado no final de 2018 teve continuidade no início de 2019. “Em particular, os indicadores disponíveis sugerem probabilidade relevante de que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha recuado ligeiramente no primeiro trimestre do ano, na comparação com o trimestre anterior, após considerados os padrões sazonais”, diz o documento. A variação do PIB só será conhecida de fato quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgar os números relativos ao primeiro trimestre.

O Copom acrescenta que os indicadores do primeiro trimestre induziram revisões substantivas nas projeções de instituições financeiras para o crescimento do PIB em 2019. “Essas revisões refletem um primeiro trimestre aquém do esperado, com implicações para o “carregamento estatístico” [herança do que ocorreu no ano anterior], mas também embutem alguma redução do ritmo de crescimento previsto para os próximos trimestres”, destacou.

Wilson Dias/Agência Brasil

Publicações relacionadas