Escritório de São Paulo em Dubai vai divulgar privatizações

O governador do estado, João Doria, irá liderar missão empresarial aos Emirados Árabes em fevereiro de 2020 para inaugurar as instalações. No segundo semestre, ele pretende ir ao Catar.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – Anunciada em maio, a abertura de um escritório comercial do governo do estado de São Paulo em Dubai está confirmada para o dia 10 de fevereiro de 2020, às 10 horas. A informação foi divulgada durante coletiva do governador João Doria para correspondentes estrangeiros na manhã desta terça-feira (03), no Palácio dos Bandeirantes. Este será o segundo escritório internacional do estado. O primeiro foi inaugurado em agosto em Xangai, na China, maior parceiro comercial do estado e do Brasil.

O governador disse que levará uma missão empresarial aos emirados de Dubai e Abu Dhabi de 07 a 13 de fevereiro. Vinte e sete empresas dos setores de alimentos, logística, portos, máquinas, têxteis e supermercados já confirmaram participação. As inscrições para a missão terminam no dia 15 de dezembro, e o governo pretende levar pelo menos quarenta empresas no total. Confira o regulamento e a ficha de inscrição.

Segundo Doria, a agenda da missão está quase pronta e foi montada bilateralmente. “Nossa intenção com a missão é abrir e operar o escritório. Começaremos a viagem por Dubai, depois iremos a Abu Dhabi. Essa é minha estratégia, levar empresários brasileiros com interesses específicos no Oriente Médio. As expectativas são grandes, vamos nos reunir com os dois fundos de investimentos mais importantes do Oriente Médio, Adia (Abu Dhabi Investment Authority) e Mubadala, teremos audiência privada com os príncipes de Dubai e Abu Dhabi, e agendas oficiais com grupos privados e instituições financeiras”, informou o governador.

O secretário Julio Serson

Segundo Wilson Mello, presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Invest SP), o escritório já tem endereço físico e o local está em reforma. “Ele fica na região do porto de Dubai. A agenda dos empresários está sendo finalizada, temos uma proposta com rodadas de negócios, visitas a áreas tecnológicas, tanto em Abu Dhabi quanto em Dubai. É uma viagem que está sendo planejada há algum tempo, e a missão culmina com a nossa participação na Gulfood, que começa em 16 de fevereiro”, informou Mello.

A Gulfood é a maior feira de alimentos do Oriente Médio e ocorre de 16 a 20 de fevereiro, em Dubai. Dela, participam Mello e o secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira. Doria não irá. A Câmara de Comércio Árabe Brasileira vai organizar um pavilhão na mostra, e desde fevereiro de 2019 a entidade tem um escritório internacional em Dubai.

O secretário de relações internacionais, Julio Serson, reiterou a importância dos países árabes para o estado de São Paulo. “No segundo semestre iremos ao Catar, e aqui na secretaria de relações internacionais temos recebido várias missões estrangeiras de países árabes. Arábia Saudita e Kuwait estiveram conosco. Independente das viagens do governador, os países árabes estão entre as prioridades da gestão João Doria”, afirmou.

Segundo Serson, a viagem deste ano, programada para junho, não ocorreu por conflito de agenda. “Os árabes já são nossos parceiros e o escritório comercial em Dubai servirá de hub para toda a região do Oriente Médio”, completou.

Doria anunciou também a contratação de Silvia Pierson para o cargo de diretora do escritório comercial de Dubai. Ela já foi chefe de operações internacionais da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) em Miami, nos Estados Unidos. Pierson ainda não pode dar entrevistas.

Wilson Mello, presidente da Invest SP

De acordo com Mello, o objetivo do escritório comercial é “a facilitação dos negócios nos dois sentidos, tanto de empresas brasileiras querendo fazer negócios lá, como de empresas e agentes financeiros do Oriente Médio querendo vir para o estado de São Paulo”.

O diferencial do escritório do governo do estado de São Paulo, segundo ele, é a oferta de vinte e um projetos de desestatização, concessões e parcerias público-privadas. “Só esse escritório tem essas oportunidades para o investidor do Oriente Médio. São projetos na área de infraestrutura, portos, aeroportos, rodovias, trem intercidades saindo de Campinas para São Paulo, e as linhas 8 e 9 do metrô”, informou Mello.

Para o presidente da Invest SP, a escolha de Dubai para a missão e abertura do escritório comercial foi estratégica. “Sempre respeitamos a vocação dos países e regiões que vamos nos instalar. Quando organizamos a missão de Dubai e Abu Dhabi, olhamos para a região e tentamos identificar as grandes oportunidades. Então primeiro a parte logística, a utilização de Dubai como hub para toda a região, para reexportação, finalização de produtos, usando as zonas francas. O potencial logístico da região é muito importante. E depois, a parte de alimentos. O Brasil tem uma força muito grande na indústria de alimentos e Dubai pode ser um grande vetor na importação de alimentos”, finalizou.

 

Divulgação
Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas